Os mitos mais comuns sobre gravidez. Desmistificamos?

Parece que sobre gravidez todo mundo sabe, todo mundo opina, não é assim?

 

É a gente anunciar que está grávida para começar a ouvir todo tipo de coisas.

 

Já não digo opiniões, senão que afirmações como se fossem verdades absolutas, mas que em realidade não têm nenhuma base científica.

Ou seja, que são mais bem MITOS!

 

E o pior é que esses mitos passam de geração em geração e há que acredita de pé junto. E como única justificação da sua hipótese está a típica frase: “Comigo/minha irmã/amiga/vizinha se cumpriu.”

 

Hoje em dia, se algo não tem uma base cientifica, se não se fez um estudo, é pura coincidência.

 

Então vamos desmistificar algumas das típicas frases que toda grávida já ouviu alguma vez, ou que nós mesmas acreditamos ou dissemos a alguma futura mamãe.

 

Se tiver azia é porque o neném vai ser cabeludo:

Ter mais ou menos cabelo tem a ver com a genética que herdou seu filho e não provoca nenhuma reação em você. Eu mesma, que tive os 2 filhos cabeludos, não tive a mais mínima azia.

Esse sintoma tem relação com a posição que adota o estômago quando deslocado para dar espaço ao útero quando cresce.

Também está muito influído pelos hormônios que deixam todas as articulações, tecidos e esfínteres mais relaxados e maleáveis do normal e faz com que o anel que fecha a boca do estômago não se feche direito.

Assim, os ácidos do estômago e às vezes também parte dos alimentos ingeridos passam ao esôfago provocando essa sensação de queimação que pode chegar até a garganta.

É uma sensação de desconforto muito desagradável mas que podemos melhorar com os seguintes conselhos:

  • Coma várias vezes ao dia, pouca quantidade. Não fique muito tempo com o estômago vazio nem encha ele demais.

 

  • Tome alimentos e bebidas frias, evite as quentes. Um sorvete de frutas, chupar gelo…

 

  • Evite se deitar imediatamente depois de comer. Espere pelo menos 2 horas.

 

  • Durma semi-incorporada. Coloque algo que faça de cunha debaixo do colchão para ter o tronco mais elevado.

 

  • Evite comida picante assim como cítricos e condimentos fortes.

 

  • Deixe de consumir café, chás excitantes ou chocolate negro.

 

  • Não beba muito líquido durante as comidas.

 

  • Prescinda de alimentos gordurosos ou muito cheios de molho.

 

Vai parir no dia que a lua mudar a cheia:

Pode ser. Mas pode não ser.

Partos tem todos os dias a todas as horas. Seja lua cheia ou minguante.

Os estudos científicos que foram feitos sobre a influência da lua no trabalho de parto afirmam que não há uma relação significativa.

Mas, é certo que esses estudos não estão muito bem elaborados e apresentam sesgos como por exemplo a inclusão de cesárias ou partos programados (provocados).

Na minha opinião (O-P-I-N-I-Ã-O), me parece que a lua exerce algo de influência sobre o desencadeamento dos partos espontâneos. Pode ser que não. Pode ser coincidência e que eu esteja sugestionada pela crença popular, mas vejo diferença nos tipos de partos (rápidos, dificultosos, rupturas prematuras ou tardias de bolsa, etc) segundo o tipo de lua desse dia.

Mas, lembre, uma simples observação de alguém não é motivo para afirmar algo com certeza. Necessitamos estudos científicos válidos e é por isso que incluo essa frase típica como um mito mais dos tantos que existem.

 

Se você não satisfazer o seu desejo de um alimento concreto, a criança vai nascer com uma mancha ou com cara de ¿?(alimento desejado):

Não é verdade.

Não precisa mandar o papai correndo às 3 da madrugada à uma padaria 24 horas para comprar aquele pão de queijo concreto que depois você vai rechear de leite condensado com marmelada de morangos e polvilhar com leite em pó por cima.

Não se sabe realmente porque as grávidas têm desejos tão complexos e concretos das coisas mais estrambólicas que existem na face da terra.

Há quem diz que é por carência de alguma vitamina ou mineral concreto, que poderia até ter algo de sentido. Se escutamos o nosso corpo, ele pede o que necessitamos.

O problema está em que muitas vezes estamos influenciadas por estados de ansiedade. E a gestação, ainda mais se é de primeira viagem, é uma fase da vida que causa muita ansiedade.

Temos que nos conhecer e reconhecer quando esse desejo está sob influência desse estado de ânimo para poder colocar um freio nessa fome emocional.

Se atendemos a todos esses desejos, seja por necessidade do organismo ou por ânsia, vamos acabar aumentando muito de peso, o qual não é bom para a sua saúde nem para sua gravidez e parto.

 

Forma da barriga: barriga pontuda, vai ser menino. Barriga redonda, vai ser menina:

Absolutamente falso.

A forma da barriga tem a ver com:

  • Idade gestacional.
  • Tipo de corpo da mulher (estrutura óssea e distribuição da gordura).
  • Altura.
  • Quantidade de líquido amniótico.
  • Posição do feto no útero.
  • Existencia de miomas.

Muitas vezes, coincide a forma da barriga com o sexo do bebê.

Mas é só isso mesmo: COINCIDÊNCIA.

Há uma altíssima possibilidade de acertar se é menina ou menino. Exatamente 50%.

Claro que muita gente vai acertar!

No meu caso, que tive menina primeiro e depois menino, tive a barriga pontuda nas duas gestações. E, claro, quando nasceu o menino todo mundo orgulhoso de ter acertado: “Tá vendo aí?” Mas quando nasceu a menina, 2 anos antes, ninguém disse nada. Hehehe 🙂

E comigo, isso de tentar acertar o sexo, foi mais empolgante ainda para todo mundo porque não quisemos saber se era menina ou menino até o nascimento. Muitas apostas em jogo 😉

 

Se tiver mais desejo de doces e comida rápida, vai ser menina. Se for de frutas, verduras e comida saudável, vai ser menino.

Outra vez o tema de se é menino ou menina.

Já sabemos a quê se podem dever os desejos durante a gravidez.

Comigo aconteceu uma coisa curiosa: antes de engravidar por primeira vez eu não era nada de doces. Adorava um salgado e praticamente não comia nada doce porque não me entusiasmava.

Foi engravidar e parece que meu paladar mudou. Comecei a apreciar os doces e deseja-los. E assim também com a segunda gravidez.

O caso é que isso permaneceu mesmo depois das gestações. Hoje em dia adoro um docinho e como coisas que antes não comia: tudo doce.

 

Enjoa muito? Menina. Não enjoa nada? Menino.

E continuamos com o sexo do bebê.

Os enjoos têm a ver com um fator hormonal, com a posição deslocada do estômago, baixadas de pressão, aumento da sensibilidade para o olfato e, inclusive há profissionais que afirmam estar também ligado a um tema emocional.

Não há nenhuma verdade absoluta nisso tudo já que há gestantes que passam por isso e há quem não. Mas o que sabemos que não é certo é a hipótese do sexo do futuro bebê.

Eu enjoei dos dois. E mais tempo ainda do segundo, que foi menino. E isso que normalmente os enjoos aparecem com mais frequência na primeira gravidez.

 

Você está mais bonita? Vai ser menino. Está desmelhorada? Menina.

É que o tema do sexo do futuro bebê dá muito jogo.

Dizem que cabelo bonito, olhos brilhantes, pele lisinha e corada são sinônimos de que vem menino aí.

E que cabelo sem vida, pele àspera e pálida e olhos cansados é porque vai ser menina.

Esqueça. Ao parecer, não tem nada a ver. Tem mais a ver com como você se sente, se dorme bem, se se alimenta bem, se têm enjoos…

Eu estava mais bonita na primeira gravidez que foi da menina que na do menino. Mas acho que tem mais a ver com que na do menino, como foi a segunda e já tinha uma criança de 2 anos que cuidar, estava esgotada (somado com os enjoos). Na primeira tinha tempo de tudo: me arrumar, dormir, comer direito…

 

dr-sugiyama-font

 

E esses são os mitos mais conhecidos. Ou pelo menos os que eu conheço.

Você já ouviu mais mitos diferentes? Conta para a gente!

Compartilhe...Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: