Tutorial para aprender a preparar e dar a mamadeira de forma correta e segura

Acho que a estas alturas não é preciso repetir as vantagens da superioridade do leite materno e os riscos do leite artificial, não é?

Apesar de que realmente muita gente não faz ideia de até que ponto é maravilhosa a alimentação natural, acho que ninguém duvida já de que é a melhor opção para o bebê (assim como para a saúde da mãe). Está claro que não há lugar a comparações.

Partindo dessa base, e sendo a decisão de alimentar ao bebê com fórmula artificial por necessidade de força maior ou por opção mesmo, deve sempre, sempre ser respeitada. Em caso de que haja sido por opção, seria interessante confirmar que essa decisão foi tomada de forma consciente, sabendo os riscos expostos.

A decisão está mais que meditada? Então vamos lá! Vamos aprender como se prepara uma mamadeira de forma correta para minimizar os riscos, acima de tudo os de contaminação.

 

Material necessário:

 

  • Mamadeiras:

Mínimo duas. Para o recém-nascido é melhor das pequenas mesmo porque tomam muito pouquinho e uma mamadeira muito grande vai ficar meio vazia, o que faz que você tenha que incliná-la muito na hora da mamada para que o bebê não trague ar.

O ideal são mamadeiras que suportem uma quantidade máxima de 150ml-200ml. Pense que um bebê de 1 dia só toma uns 10 ml por vez. Com 1 semana de vida, por exemplo, toma uns 60-70ml. Ao final do primeiro mês estará tomando ainda somente uns 120 ml de leite em cada mamada. Mais adiante, cuando ele tomar mais quantidade, já pode comprar una mamadeira maior.

O material das mamadeiras pode ser tanto de vidro como de plástico. As de vidro não absorvem odores nem sabores e são mais fáceis de limpar e por tanto mais higiênicas que as de plástico, que costumam acumular mais restos de leite e por tanto deve-se extremar a limpeza. Por outro lado, as de vidro se rompem facilmente. Isso sim, se se decidir pelas de plástico se certifique de que são livres de BPA (Bisfenol-A).

 

  • Bicos:

Normalmente já vêm com as mamadeiras. Podem ser tanto de látex como de silicone. O bom das de silicone é que não absorvem odores nem sabores e são transparentes, o que faz mais fácil comprovar se ficou completamente limpo. As de látex são opacas, de cor entre âmbar e amarelo e a sua forma pode-se ver alterada com o tempo.

Também existem diferentes formas de bicos, mas o ideal seriam os de forma anatômica, já que simula o bico do peito e se adapta melhor à forma do paladar do bebê.

 

  • Escovinha para a limpeza:

Importantíssimo que seja de uso único e exclusivo para lavar as mamadeiras. Depois do uso, deve ser bem lavada e escorrida e deixar secar ao ar livre antes de guardar.

 

  • Detergente apropriado para lavar mamadeiras e utensílios para bebês:

Tem pH adequado e livre de tóxicos.

 

  • Escorredor (não imprescindível):

Para poder escorrer e arejar tanto a mamadeira como o bico e as demás peças depois de lavadas. Dessa forma é possível manter o material de cabeça para baixo sem tocar superfícies e assim não ficar abafado, minimizando a proliferação de bactérias.

Há escorredores de pratos e copos que podem fazer a mesma função.

 

  • Esterilizador (não imprescindível):

Aparelho elétrico que serve para esterilizar uma ou mais mamadeiras à vez. São caros e podem ser substituídos perfeitamente pelo método tradicional da panela no fogo (que veremos mais adiante).

Há também no mercado um preparado em pó para misturar com água e assim esterilizar as mamadeiras, bicos e chupetas. Mas ao ter que comprar muitos saquinhos, acaba saindo caro também.

 

  • Aquecedor de mamadeiras (não imprescindível):

Serve para aquecer o leite na temperatura ideal. Pode ser substituído pelo método tradicional ao fogo (veremos mais adiante também) ou sob a torneira com agua quente. Deve-se evitar o micro-ondas já que esquenta de forma desigual, podendo deixar partes do liquido quentes demais.

Também costuma ser caro.

 

 

Como e cada quanto lavar:

 

É preferível lavar a mamadeira imediatamente depois de cada mamada. Se não for possível porque nos encontramos fora de casa, é melhor pelo menos passar uma água para retirar os restos e que não seque e endureça o leite. Além de ser mais difícil de limpar depois, tem mais risco de proliferação de bactérias.

Desmonte e separe cada peça, e lave cuidadosamente uma a uma. Preste especial atenção em cada cantinho escondido do material. Não pode ficar nenhum restinho de leite. Enxague abundantemente para retirar todo o detergente e coloque cada peça para escorrer de forma arejada. Não utilize panos para secar nem apoiar. Tem que secar em contato com o ar. Uma vez seco, monte a mamadeira e guarde num armário limpo e seco e longe de odores.

 

Como e cada quanto esterilizar:

 

A primeira vez que se utilize qualquer material que vá estar em contato com a boca do bebê deve ser esterilizado.

Depois, não é preciso esterilizar toda hora. É mais que suficiente 1 vez ao dia.

Já comentamos há umas linhas que se pode usar esterilizador elétrico, preparado em pó (instruções no pacote) ou bem com o método tradicional, ao fogo (banho Maria), que seria da seguinte maneira: Depois de bem lavadas todas as peças, coloque para ferver uma panela com água o suficientemente grande para poder cobrir todo o material. Quando começar a ferver é que já se alcançaram os 100ºC necessários para matar os germes. Mergulhe todas as peças já lavadas e desencaixadas e deixe ferver por cerca de 10-15 minutos. Depois, tire as peças, espere que esfriem e escorram e uma vez bem secas, monte a mamadeira e guarde.

 

 

Como preparar o leite:

 

O ideal é utilizar água engarrafada ou de filtro esterilizador.

A água não tem que estar necessariamente quentinha. Há bebês que preferem do tempo mesmo, mas a maioria gosta mais de leite morninho já que dá uma sensação de bem-estar.

Se for água da torneira, deve ser fervida sempre!

De todas formas é recomendável ferver a água, mesmo a engarrafada, já que assim minimizamos as possíveis infecções intestinais por leite contaminado. Sim, o leite artificial não é estéril. E é possível que o leite venha contaminado de fábrica por 2 das bactérias mais perigosas para os pequenos: Cronobacter e Salmonella. Esse é um dos riscos da alimentação com fórmula.

É necessário que a água chegue entre 70 e 90ºC para que possa matar as bactérias que costumam colonizar o leite em pó. Para isso o ideal é levar a água a ebulição e esperar entre 5 e 30 minutos para adicionar o pó. Por que esperar? Porque se você colocar o pó com a água fervendo o leite vai se aglutinar e formar grumos e ao esperar esses minutos, conseguiríamos esse tramo de temperatura.

 

As latas contêm instrução para a preparação, mas nem sempre dão as recomendações corretas. Normalmente, por cada 30ml de agua, adicionaremos 1 medidor de leite em pó rasado (encha o medidor de pó e rase com o lado reto e liso de uma faca para que não fique aquela “montanhinha”). Primeiro sempre a água e depois o pó. Agite muito bem até o pó se dissolver por completo.

Prepare de 30 em 30 ml. Como assim? Um bebê recém-nascido não vai tomar mais que 30 ml nos primeiros 2 dias, assim que para não esperdiçar, se vemos que o bebê tomou tudo, vamos preparar outros 30 ml. Então, já sabemos que para a próxima mamada teremos que preparar 60ml.

Explicado de outra forma: O bebê sempre vai deixar um restinho sem tomar. Cada vez que ele tome toda a mamadeira preparada, iremos acrescentar outros 30 ml na seguinte mamada. Entendeu direitinho?

 

Resista à tentação de colocar mais pó ou mais água já que pode estar concentrando demais o leite, o que não seria bom para os rins da criança ou diluindo demais, o que faria que não se nutra bem. Se limite à quantidade correta tanto de água como de pó. Nem mais nem menos.

 

As fórmulas líquidas, que normalmente se encontram em caixinhas, não requerem preparação e já vêm estéreis. Normalmente são indicadas para prematuros, já que correm mais risco vital em caso de infecções. São bastante mais caras.

 

 

Como dar a mamadeira:

 

Esqueça esses inventos modernos malucos para substituir a mãe ou o pai. Me refiro a esses trecos que servem para que o bebê possa tomar a mamadeira sozinho sem ter ninguém segurando. Isso é desumanizador! O bebê necessita sentir que está sendo alimentado por alguém. Alimentar à cria forma parte do fortalecimento do vínculo entre pais e filhos. É indispensável que a criança sinta que está sendo cuidada, que há uma pessoa velando por ela. É recomendável inclusive manter o contato visual durante as tomas, segurar o bebê no colo, mudar de lado cada vez, falar, sorrir, interagir com ele.  Assim ele se sente mais seguro e vai até comer melhor.

 

Normalmente, o bico da mamadeira tem uma marquinha que indica que deve coincidir com o nariz do bebê. Dessa forma você garante que os furinhos do bico estão voltados para cima, para o paladar.

 

Procure inclinar a mamadeira de forma que o bico esteja sempre cheio de leite para que o bebê não acabe engolindo ar.

 

 

Cada quanto dar a mamadeira:

 

Até há relativamente poco tempo se recomendava dar de certa em certa hora, seguindo um horário rígido. Mas as últimas recomendações das principais autoridades de saúde infantil são as mesmas que para aleitamento materno: EM LIVRE DEMANDA. Só o bebê sabe mesmo cada quanto e que quantidade necessita já que eles vêm com um mecanismo perfeito de detecção de fome-saciedade.

Então, o neném está dando sinais de fome? Oferece leite. Esqueça o relógio. Confie nele.

 

Isso sim, o que ele não acabar não se pode guardar. Tem que ser jogado fora mesmo. Não fique com pena. Guardar leite que já esteve em contato com a boca do bebê (que não é estéril) é muito perigoso.

Você pode preparar mais de uma mamadeira para guardar para mais tarde (sem ter tocado ainda a boca do bebê). Justo depois da preparação, meta na geladeira que pode aguentar até 24 horas, sempre que permaneça colocada no fundo, nunca na porta.

dr-sugiyama-font

 

Parece fácil mas tem a sua complicação, não é mesmo? Mas não se preocupe que depois de preparar uns quantos já vai sair tudo automático.

Para ser sincera eu nunca preparei um. Mas pela minha profissão tive que aprender, ainda que fosse na teoria e vendo videos. E só de pensar em lavar, esterilizar, ter cuidado com a temperatura, etc. já me dá preguiça. O peito me parece tão prático!

 

Mas ficou bem explicadinho ou tem alguma coisa que não deu para entender direito? Pergunta aqui nos comentários que eu te esclareço a dúvida sem problema nenhum.

 

Feliz semana!

 

 

Imagens desde Flickr: Jérôme Decq, LMAPDaniel LoboMaddi Montero

Compartilhe...Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

5 Replies to “Tutorial para aprender a preparar e dar a mamadeira de forma correta e segura”

  1. Palavras excelentes. Bem colocado e fácil de entender, parabéns e continue assim para sempre. Ótimo artigo, gostei muito.

  2. Francisca Gleiciane de Souza Castro says: Responder

    Gostei muito, só não gostei no final, pois eu não consegui amamentar não por opção, mas pq infelizmente aconteceram coisas que não tive como evitar, e vc finaliza de um jeito que me deixou triste…só Deus sabe o quanto tentei e o quanto eu sofri tentando, e sofri mais ainda quando tive que dar a mamadeira.

    1. Ô Gleice, vai desculpando se ofendi em algum momento. Tenha certeza de que essa não foi a minha intenção, já que, ante tudo, o meu lema é respeito, assim como apoio e ajuda entre nós, as mães.
      Mas me conta aí em que parte foi, por favor. Porque reli o texto e não consigo identificar a frase. Nossos pontos de vistas podem ser diferentes e, por isso, te peço que me indique onde foi para poder mudar a construção da frase e não dar lugar a mal entendido.
      Agradeço muito o comentário e a crítica construtiva. Isso contribui a conectar melhor com vocês, as leitoras, e assim também poder ajudar mais e melhor.
      Um beijo grande. Peço desculpas novamente e espero a sua resposta.
      Daniela Glez.

  3. Aqui é a Camila da Silva, e quero parabenizar você pelo seu artigo escrito, muito bom vou acompanhar o seus artigos.

    1. Obrigada, Camila! 💋

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: