Amamentar estando grávida é seguro ou pode acabar em aborto / parto prematuro?

Quando se trata de aleitamento materno parece que existem mil e um motivos para desmamar quando na verdade só em pouquíssimas ocasiões deve-se finalizar por completo.

 

O motivo mais frequente é a gravidez. Mas, devemos mesmo desmamar quando soubermos que estamos grávidas?

 

Muitas vezes (e felizmente), o aleitamento materno dura mais do que imaginávamos e acabamos ficando grávidas de novo quando temos um filho que ainda mama.

 

Nesse caso, muita gente (incluídos profissionais desatualizados), recomendam desmamar.

 

Como desculpa para justificar o desmame durante a gravidez se utiliza a seguinte justificação:

A estimulação dos mamilos pela sucção do bebê faz com que a mulher produza oxitocina. Esse hormônio é responsável também de provocar as contrações durante o trabalho de parto.  Por tanto, se a mulher amamentar estando grávida vai gerar contrações que acabarão num aborto ou num parto prematuro.

 

GRANDE ERRO!!!

 

As coisas não são brancas ou negras e menos tratando-se do corpo humano. É preciso conhecer direito a fisiologia do organismo feminino antes de generalizar tal afirmação.

 

Te adianto desde já que o processo que leva ao trabalho de parto ou aborto não é assim de singelo. Não por gerar oxitocina você vai começar a ter contrações até abortar ou parir.

 

Também os orgasmos e os abraços geram oxitocina e ninguém proíbe a mulher grávida de gozar durante as relações sexuais nem se recomenda não dar e receber abraços.

 

Vou te explicar direitinho para você entender e poder questionar quem te diga o contrario.

 

 

O aleitamento materno produz oxitocina?

Sim, produz.

A oxitocina é o hormônio responsável pela saída do leite. Ela provoca micro-contrações nos alvéolos (onde se produz o leite) da glândula mamaria para facilitar que o leite se extraia.

Ela é também responsável por essa sensação de bem-estar e relaxamento que sentem as mães e os bebês durante a amamentação.

 

 

Para chegar a provocar um aborto ou parto prematuro é necessário ter contrações?

Sim.

Sem contrações não é possível expulsar o bebê.

E aqui quero enfatizar numa coisa:

Muitas vezes, os abortos não são provocados pelas contrações, mais bem, as contrações são produzidas para expulsar o embrião que perdeu a vida.

 

 

Para ter contrações é necessário segregar oxitocina?

Sim.

Mas o fato de segregar oxitocina não garante ter contrações efetivas.

É preciso ter os receptores para esse hormônio ativados no útero.

Se não estiverem ativados, por mais oxitocina que o nosso corpo gere, não vai provocar nenhuma ação no útero.

 

Quando os receptores de oxitocina do útero se ativam?

Em duas situações:

  • No final da gravidez

Lá para o finalzinho da gravidez os receptores começam a ir se ativando cada vez mais.

E durante o trabalho de parto chagam a estar praticamente todos ativados.

 

  • Quando existe ameaça de aborto ou parto prematuro

Nesse caso, existe um desequilíbrio que faz com que os receptores de oxitocina do útero se ativem muito antes de tempo. Trata-se de uma patologia, uma disfunção.

 

Conhecendo o funcionamento do útero e a ação da oxitocina dá para entender quando a mulher grávida pode dar de mamar e quando não.

 

 

Quando a grávida não pode continuar dando de mamar?

Somente em uma ocasião: Quando está diagnosticada de ameaça de aborto ou parto prematuro.

Nesse caso, deve desmamar imediatamente.

Nem fazer uso do tira-leite nem nada que estimule a produção da oxitocina como é o caso também das relações sexuais (nem penetração com ou sem ejaculação, nem experimentar orgasmos).

Ao haver um desajuste na quantidade de receptores ativos para a oxitocina, devemos evitar a produção desse hormônio para que o útero não comece a gerar contrações que acabem expulsando o embrião, no caso de gravidez recente ou o feto, em gestação mais avançada, mas que ainda não está a termo (antes da semana 37).

 

 

Quando a grávida pode continuar dando de mamar?

Sempre, exceto no caso anterior.

 

 

Então, se a sua gravidez está correndo bem (que é o mais normal e habitual), não tenha receio em continuar dando o melhor de você ao seu filho.

 

Não tem que desmamar nem limitar as mamadas durante nenhuma semana de gravidez. A criança pode continuar mamando em livre demanda durante toda a gestação, como esteve fazendo até agora.

 

Há vezes, que a própria criança é quem acaba desmamando sozinha já que o sabor do leite fica um pouquinho mais salgado e a partir do segundo trimestre acabamos produzindo menos quantidade.

 

Aproveite essa sensação boa de relaxamento e felicidade que produz a oxitocina que é gerada durante o aleitamento.

Vai te fazer muito bem se sentir assim, tanto para você como para seu bebê, que sente tudo o que você experimenta, como também para seu filho lactente, que vai continuar recendo esse ouro líquido e aproveitando todos os benefícios de um “aleitamento prologando”.

 

Não se assuste se no começo da gravidez você experimentar uma sensação de desconforto ou até mesmo de dor e ardor nos mamilos durante a mamada.

É habitual e normal que a sensibilidade aumente. E é devido a um tema hormonal.

Não todas as mulheres sentem isso e geralmente, essa sensação acaba desaparecendo antes de chegar à semana 20, a metade da gravidez.

 

Também é possível sentir contrações leves (sensação de barriga dura) durante a mamada. São conhecidas como contrações de Braxton-Hicks e são inofensivas já que não dilatam o colo do útero.

 

Como eu sempre digo: fora culpas e curta a sua gravidez e o seu aleitamento juntinhos!

 

Eu mesma continuei dando de mamar durante a minha segunda gravidez. Minha filha tinha 1 ano e meio quando fiquei grávida e nunca deixou o peito. Hoje, ela tem 4 anos e continua mamando junto com o irmão mais novo, que vai fazer 2 anos dia 31 de dezembro.

Em outro post, falaremos como fazer quando nasce o novo bebê, mas seu primeiro filho continua mamando. Como repartir as mamadas? Deveria desmamar o mais velho? Te explicarei tim-tim por tim-tim. Aguarde!

 

Compartilhe...Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

6 Replies to “Amamentar estando grávida é seguro ou pode acabar em aborto / parto prematuro?”

  1. Olá
    acabei de descobrir que estou grávida do segundo filho e tenho um meio de 1 cano e 10 meses; ele ainda mama e meu obstetra pediu o desmame, mas eu não quero de imediato, quero fazer gradativo se céu conseguir pois pra mim é difícil esse desapego, esse momento da amamentação. Meu filho mama somente para pegar no sono e como acalento já que está com quase 2 anos, sua matéria me conforta muito, mas ainda tenho um pouco de medo.

    1. Oi, Franciele! Parabéns pela nova gravidez! Se quer desmamar porque é opção sua, não porque alguém aconselhou sem sentido, você faz muito bem em fazer de forma gradativa. Sendo que só mama para pegar no sono, é mais fácil. Em caso de poder, pede que seja otra pessoa quem coloque ele para dormir, mas vai ter que associar ao sono outra coisa diferente do peito, como por exemplo, um conto, una historinha, uma canção…
      Espero ter ajudado.
      Abraço.
      Daniela Glez

  2. Daniela, amei ler sua experiência! Que benção de Deus conseguir amamenta-los por tanto tempo!
    Tenho uma bebê que acabou de completar 6 meses e estou na 6a semana de gestação.
    Tive um sangramento e o ultrassom mostrou que estou com um hematoma subcorionico de 20% do saco gestacional.
    Você já acompanhou algum caso parecido?
    Minha obstetra pediu o desmame imediato da minha bebê, disse que o aleitamento me faria ter contrações em razão do hormônio e eu poderia abortar, enquanto que o médico que fez minha us e verificou o hematoma, conversando informalmente, me disse que a amamentação não iria interferir em nada.
    Além de eu não querer parar de amamentar, estou sofrendo muito com os seios ingurgitados!
    Você já viu algum caso parecido, no meu lugar você desmamaria?
    Obrigada, beijos!

    1. Oi Mona! Em primeiro lugar, mil disculpas pela demora, mas é que estou totalmente desconectada do blog por culpa de mil coisas nas que estou imersa agora mesmo. Na minha primeira gestação tive também um pequeno hematoma que ao final não teve maiores consequências. No seu caso, é preciso estar atenta á presença de contrações. No caso de sentir contrações, ainda que leves, deveria desmamar porque aí já não seria normal. Provavelmente, ainda mais se você nunca sentiu contrações, o hematoma nao tenga nada a ver com a amamentação (de fato, acontece em muheres que não amamentam). Qual é o problema? Que em caso de aborto por causa do hematoma, com certeza você vai escutar críticas que façam você se sentir culpada por amamantar. Nesse caso, ou você se concientiza muito ou vai se deixar influenciar. Por isso, não posso te dizer o que fazer, mas tengo claro que sendo eu, com a mínima contração desmamaria, sem nenhuma, não. É una decisão pessoal e que imagino que pelo tempo que passou você já tenha tomado.
      Espero, de coração, que va tudo bem e que você me dê boas noticias.
      Um beijo enorme!
      Daniela.

  3. Amei seu blog 🙂 Parabéns!!!

    1. Obrigada!! :*

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: